quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

TENHO SAUDADES

Tenho saudades do meu amor que te amava
vestido de silêncios e conflitos tão sinceros.
Um amor que era sol -  um amor tão belo
que até aos anjos a sonhar  ele ensinava.

Tenho saudades do amor que eu sentia,
momentos manuscritos dentro do coração.
Tinha linhagem aquele sonho que eu vivia.
Era uma luz passando a limpo a escuridão.

E onde estás? Não te encontro mais
e nesses meus sonhos, o que buscais
ó anjos?  -  a esperança já vencida?

Não entendo mais essa linguagem.
Sei que a dor muda toda paisagem
do livro interior, onde se escreve a vida.


(Direitos autorais reservados).

http://www.luciaconstantino.prosaeverso.net

3 comentários:

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, amiga doce. Que lindo ficou a repaginada que você deu no seu blog. Amei! Ficou na minha opinião, mais charmoso, atual e intimista.
Belíssimo poema onde a saudade impera, a busca pelo que parecia ideal, encontra-se perdida.
Um amor assim é muito bom de se viver, mas quando por alguma razão restam fragmentos na jornada, ficamos a perguntar se a responsabilidade foi nosso, ou do destino.
A dor é mutável, chegará o momento dela partir, e com ela terás aprendido o suficiente para se fortalecer e seguir em frente.
Você, sempre sensível!
Quero te agradecer por estar comigo nesses poucos meses de blog, ler, opinar, mas antes de tudo, me ajudar como sempre fez.
Você é uma pessoa muito importante para mim, me sinto acarinhada, e a emoção bate agora através dos meus olhos marejados.
Quero que tenhas um 2012 abençoado, com muito amor, paz, prosperidade e fé.
Que Deus esteja contigo!
Te amo!
Beijo grande!

Ana Banana disse...

Lindamente melodioso Lúcia. Ricamente significativo. Com seu brilho e talento muito peculiares. Grande beijo nessa alma iluminada!

Jô do Recanto das Letras disse...

Em teus fascinantes poemas, misturas céus, anjos, nuvens, estrelas e salmos - tudo carregado de emoções profundas. Você vive realmente nas nuvens, criatura...